top of page
  • Writer's pictureAngèle Berdat

Campanha do Agasalho de Campinas encerra com 16,6 toneladas de doação



A Campanha do Agasalho de Campinas concluiu nesta quarta-feira, dia 17, a contagem das doações entregues, atingindo a marca de 16.623. “Quero agradecer a cada doador por sua generosidade. Essa campanha tem a cara e o espírito solidário do povo de Campinas”, afirmou Vandecleya Moro, secretária municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos.

O propósito da Campanha do Agasalho foi a distribuição de roupas de inverno e cobertores à população socialmente vulnerável. No ano passado, a Campanha do Agasalho chegou a 21 toneladas, mas as temperaturas amenas do inverno este ano diminuíram tanto a demanda quanto a oferta de agasalhos e cobertores.

No dia 6 de agosto, entidades assistenciais e servidores municipais realizaram um mutirão de triagem no ginásio dos Patrulheiros para facilitar o processo de entrega para Organizações da Sociedade Civil e para órgãos públicos como o Albergue Municipal.

Shopping

O Parque D. Pedro Shopping, administrado pela Aliansce Sonae Shopping Centers, entregou ao final da Campanha do Agasalho mais de 350 quilos de doações. A arrecadação de 2022 foi 45% superior em comparação a do ano passado.

"No final de junho, realizamos a primeira entrega de peças arrecadadas desde o início da campanha, o equivalente a 157 quilos de doações. Esse resultado inspirou ainda mais a solidariedade e a continuidade dessa iniciativa, que temos o orgulho de participar todos os anos", afirmou a gerente de marketing do Parque D. Pedro Shopping, Taís Tavares. Ao final da Campanha, foram entregues mais de 1,4 mil peças pelo empreendimento.

“Somos um shopping referência no interior de São Paulo, que recebe diariamente um público significativo de várias cidades. Assim, entendemos a importância de sermos, como empresa socialmente responsável, apoiadores de ações e atividades que visam ajudar ao próximo”, completou.

O Parque D. Pedro Shopping iniciou em maio a arrecadação de doações para a Campanha do Agasalho 2022. As entradas das Flores, das Águas, das Colinas, das Pedras e das Árvores contaram com uma caixa personalizada para a arrecadação. O shopping também contou com um ponto de coleta no PEG, espaço localizado no estacionamento, que permitiu a entrega das doações pelo drive-thru.

Operação Inverno

Desde 1º de maio, a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos lançou a Operação Inverno, serviço de acolhimento a pessoas em situação de rua no município por meio do SOS Rua. A Operação Inverno se estende até o dia 30 de setembro. Desde que começou, já foram registrados 5.670 atendimentos, foram distribuídos 9.614 cobertores e realizados 1.087 encaminhamentos ao abrigo municipal.

Durante a Operação Inverno, o período de acolhimento do serviço SOS Rua passa a ser das 8h à 0h. O objetivo é acolher essas pessoas e, se elas aceitarem, as encaminhar aos serviços da rede de proteção, de assistência social e de saúde do município. O SOS Rua conta com equipe multidisciplinar composta por assistentes sociais, psicólogos e educadores que atuam diretamente nas ruas.

Desde a primeira semana do mês, reforçando a ação da Operação Inverno, o Bagageiro Municipal ampliou em mais duas horas o horário de atendimento à população socialmente vulnerável. O serviço está localizado na Rua José Cruz Ferreira Jorge, 32, na Vila Industrial, e funciona, agora, de segunda a sexta-feira, das 8h às 19h. Antes da mudança, o horário de atendimento era até 17h.

Desde 5 de maio, a secretaria ampliou o número de vagas em abrigos para pessoas em situação de rua. Além das 120 vagas já existentes no Samim, foram criadas mais 80 vagas na Casa da Cidadania.

Além da Operação Inverno, por meio do SOS Rua, a Prefeitura de Campinas mantém outras políticas públicas voltadas à população em situação de rua.

Mão amiga

Tendo como objetivo promover a reinserção social por meio da qualificação profissional de pessoas em situação de rua, o Mão Amiga oferece, durante o curso, uma bolsa de 277 UFICs, o que equivale a R$ 1.165,73, e dura de 12 a 24 meses. Desde 2016, quando foi criado, já foram certificados 166 bolsistas: 130 homens e 36 mulheres, que frequentaram aulas de hidráulica, elétrica e música. Mais de 20 ex-egressos do curso já entraram para o mercado de trabalho formal.

Operação “Amigos no trecho”

Iniciada em 1º de julho de 2021, o projeto envolve a Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos, a Polícia Militar Rodoviária e as concessionárias que administram as estradas que passam pelo município de Campinas. Trata-se de um serviço 24 horas que, ao identificar um morador em situação de rua nas estradas, aborda, identifica-o e oferece acolhimento no albergue municipal. Em um ano de atividade, o serviço não registrou nenhuma fatalidade com andarilhos.

Recâmbio

O Recâmbio de Migrantes é um programa da Secretaria Municipal de Assistência Social, Pessoa com Deficiência e Direitos Humanos cujo propósito é garantir o retorno seguro de pessoas socialmente vulneráveis a seus locais de origem.

Centros POP Sares unidade 1 e unidade 2

São equipamentos públicos que ofertam atendimento especializado para pessoas em situação de rua. As ações desenvolvidas são: acolhida; escuta qualificada e compreensão do contexto familiar e social dos (as) usuários (as); orientação sobre documentação pessoal; compreensão da complexidade e da dimensão social que perpassa a situação de rua; incentivo à participação social dos (as) usuários (as) e a defesa de direitos e oferta de cuidados de higiene, vestuário e alimentação.

Casas de passagem

As duas casas de passagem em Campinas acolhem pessoas em situação de rua, oferecendo espaço transitório de moradia para a construção do processo de saída das ruas. Oferece cuidados de higiene, saúde, alimentação, vestuário, documentação e convivência.

Abrigos

A Prefeitura conta com três abrigos masculinos, um feminino e um albergue municipal (Samim).

Consultório na rua

A Secretaria Municipal de Saúde mantém o Consultório na Rua, que visa atender a essa população. Por meio de um veículo adaptado que percorre diversas áreas da cidade, o Consultório na Rua oferece cuidados em saúde a essas pessoas em seus próprios contextos de vida. É composto por duas equipes multidisciplinares que contam com médicos, psicólogos, assistentes sociais, auxiliares de enfermagem, enfermeiros e redutores (pessoas que trabalham com a política de redução dos danos causados pelas drogas). O foco do atendimento é voltado para doenças ou condições que mais atingem os moradores em situação de rua, como tuberculose, alcoolismo e combate ao crack e outras drogas. Orienta essa população sobre doenças, como as sexualmente transmissíveis e hepatites. Realiza curativos, testes de diabetes e medição de pressão.

bottom of page